14 agosto 2012

Criança ativa é criança saudável



Já postei no Blog sobre a obesidade infantil e os riscos da inatividade física para a saúde de crianças e adolescentes. O post de hoje é o primeiro da série “criança ativa é criança saudável”, que tem como objetivo divulgar a importância da Nutrição e de um estilo de vida ativo na promoção da saúde de crianças e adolescentes. 

Sedentarismo + ansiedade
Criança sedentária geralmente torna-se ansiosa!

A atividade física auxilia na manutenção do peso adequado, condicionamento físico, tonifica os músculos, favorece a saúde óssea, bem como auxilia na promoção do bem-estar psicológico e integração social de crianças e adolescentes.

A atividade física controla a hiperatividade e os distúrbios do sono
Crianças hiperativas ou que apresentam distúrbios durante o sono recebem muitos benefícios se estimuladas a realizar atividade física regular duas a três vezes por semana.

Diante de tantos benefícios, o incentivo a prática regular de atividade física passou a ser uma questão quase que obrigatória para os pais que se preocupam com a saúde de seus filhos e tentam impedir o crescimento da epidemia da obesidade infantil em que vivemos atualmente.
Por outro lado é comum encontrar pais que exigem de seus filhos a prática de esportes extenuantes, pois acreditam que atividade física “de verdade” deve ser intensa ou ter caráter esportivo. 
 
Sem excessos
O esporte é importante para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, desde que praticado com moderação e sob orientação. O excesso de atividade física sobrecarrega o  organismo e pode prejudicar o crescimento.

Atividade física é qualquer movimento do corpo, e é perfeitamente possível ter uma vida ativa - não sedentária - sem participar de competições. Quando a atividade física tem horário e freqüência determinados, passa a ser conhecida por exercício físico programado. É o caso das aulas de Educação física na escola, nas quais as crianças praticam exercícios físicos para cumprir o programa curricular. Diferente, por exemplo, de dançar em festinhas e brincar no parquinho, atividades em que o horário e a freqüência não são claramente determinados. Por outro lado, quando o objetivo da atividade física é uma competição, essa passa a ser conhecida por treinamento físico. Nesse caso, a regularidade e a orientação técnica são fundamentais. Um bom exemplo é o da criança que pratica natação com o objetivo de participar de olimpíadas na escola onde estuda.
É importante entender que todo movimento exige habilidades específicas, chamadas componentes ou capacidades físicas, que devem levar em conta o estágio de desenvolvimento físico da criança. Uma corrida de 100 metros, por exemplo, exige que os músculos do corpo estejam preparados para realizar uma força explosiva onde há um alto consumo de energia em um curto espaço de tempo. Mas não são só os movimentos ligados ao esporte que utilizam essas capacidades físicas. 
 
Subir e descer escadas, brincar de esconde-esconde e pular corda - brincadeiras que já foram muito comuns na infância – são atividades físicas que envolvem capacidades e movimentos do corpo tão complexos quanto as mais sofisticadas modalidades esportivas.

Observe no quadro abaixo como esportes e brincadeiras infantis têm componentes físicos semelhantes, apesar de intensidades diferentes.


Conhecer as condições físicas da criança é fundamental antes de indicar uma atividade. É preciso buscar a orientação do pediatra, que conjuntamente com o educador físico, poderá indicar a atividade adequada, evitando erros comuns como a prática de esportes que exigem capacidades físicas incompatíveis com o estágio de desenvolvimento da criança e que podem causar mais danos do que benefícios.

O que eu realmente gostaria de ressaltar neste post é que um estilo de vida ativo é fundamental para o crescimento e desenvolvimento, porém exercícios em exagero podem causar estresse, desviar a energia destinada ao crescimento e provocar lesões, prejudicando a saúde de crianças e adolescentes.

Lembrando sempre que uma criança ativa precisa se alimentar muito bem, principalmente porque a alimentação equilibrada é o verdadeiro combustível que gera a energia necessária para a prática regular da atividade física, seja ela programada,  não programada ou com finalidade competitiva.

 
Fonte: Ctenas, M.L.B.; Vitolo, M.R. Crescendo com saúde: O guia do crescimento da criança - São Paulo: C2 ed., 1999.

**Maiores informações sobre o programa de Nutrição para crianças atletas e esportistas entre em contato.


Nenhum comentário:

Postar um comentário